Notícias

Unifran destaca-se em evento científico que teve 310 trabalhos inscritos


16
November 2006

iniciacaodentro1.jpgAlunos da graduação e da pós-graduação da Unifran participaram com destaque nos dias 9 e 10 de novembro do 4º Encontro de Iniciação Científica e de Professores Pesquisadores e do 2º Encontro de Pesquisadores da Pós-Graduação. Durante os dois dias do evento, das 8h30 às 22hs, aconteceu a exposição de 310 trabalhos de várias instituições (públicas e particulares) de diversas áreas do conhecimento. A mostra, em formato de banners aconteceu no bloco da biblioteca e pôde ser visitada por alunos, ex-alunos, pesquisadores e profissionais com o objetivo de se atualizarem nos assuntos de sua área de atuação.

Além da Unifran, participaram equipes da UFU (Universidade Federal de Uberlândia), UNIPAM (Universidade de Patos de Minas), FGV (Fundação Getúlio Vargas de Ribeirão Preto), UNIFENAS (Universidade de Alfenas), UFTM (Universidade Federal do Triângulo Mineiro), UNITRI (Universidade do Triângulo), FAZU (Faculdades Associadas de Uberaba), USP Ribeirão Preto, UNESP Franca, EMBRAPA Pecuária Sudeste, UNIUBE (Universidade de Uberaba), entre outras.

O encontro teve ainda duas palestras importantes que aconteceram na quinta (9) e sexta (10), às 20h, no Teatro da Odontologia. A primeira, voltada para a Iniciação Científica, foi proferida pela Profa. Dra. Semiramis Melani Melo Rocha, Professora Titular Aposentada da Escola de Enfermagem de Ribeirão Preto da USP, Professora catedrática da Universidade de Aveiro – Portugal e Professora do Mestrado em iniciacaodentro.jpgPromoção de Saúde da UNIFRAN. A segunda, voltada para a Pós-Graduação, foi proferida pela Profa. Dra. Maria Cecília Puntel de Almeida, docente da Escola de Enfermagem da USP – Ribeirão Preto, membro do Comitê Multidisciplinar da CAPES; representante do Brasil na OPS/OMS (Organização Panamericana de Saúde/Organização Mundial de Saúde).

Segundo a Profa. Maria José de Faria Tsuchiya, Coordenadora de Iniciação Científica da Unifran, o evento teve por objetivo valorizar, socializar e divulgar as atividades de pesquisas desenvolvidas pela Unifran e por outras instituições. "Os Encontros de Iniciação Científica e de Professores Pesquisadores possibilitam retratar os resultados do processo investigativo e são o campo ideal para a interação dos diferentes segmentos da universidade, além de dar oportunidade de convívio com a Comunidade Científica. Esses encontros reforçam a qualificação da instituição como universidade e colocam sob apreciação da sociedade e da Comunidade Científica, sua produção acadêmica", analisa. Receberam menção honrosa 15 trabalhos de iniciação científica e 14 de pós-graduação, dentre os quais, muitos de alunos e professores pesquisadores da Unifran.
 
A Profa. Maria José explica que as funções primordiais da Universidade são o ensino, a pesquisa e a extensão, essenciais e inseparáveis. "A Iniciação Científíca é, com certeza, a grande contribuição da Universidade de Franca para o processo de formação de recursos humanos qualificados, não só para a área acadêmica, mas também para o desenvolvimento do setor produtivo e para as profissões liberais. A Universidade de Franca tem mostrado claramente, através de inúmeras iniciativas tomadas nos últimos anos, que é sempre possível aprimorar a qualidade de uma instituição", afirma.

Elizabeth Touso, Pró-reitora de Extensão da Unifran, argumenta que é a Iniciação Científica que vai consolidar a atividade de pesquisa, uma das características principais das universidades, segundo a nova Lei das Diretrizes e Bases da Educação, o que bem indica a importância atribuída à pesquisa. "Esta importância decorre da concepção de que o ensino superior deve estar sempre associado às atividades de pesquisa e extensão, além do fato da economia moderna ser movida pela inovação tecnológica, que é gerada pela atividade de pesquisa", esclarece.

inciacaodentro2.jpgUma das finalidades da Iniciação Científica seria refinar a formação acadêmica do aluno de graduação. Estimulando a pesquisa, a universidade investe na formação profissional do aluno, que, sendo preparado para lidar com situações do cotidiano de forma mais criteriosa, analisaria as várias possibilidades para resolver problemas no seu campo de atuação. O profissional a ser colocado no mercado de trabalho deverá estar apto a tomar decisões e a trabalhar em equipe e a Iniciação Científica pode contribuir nessa direção.

 "Em um país que não tem tradição em investir na educação, a Iniciação Científica faz o diferencial da Universidade de Franca e no desenvolvimento deste processo, o papel do orientador é de fundamental importância, uma vez que seu objetivo deve ser o de estimular e fortalecer princípios éticos, auto-confiança e raciocínio crítico em jovens estudantes, traduzidos nos trabalhos de pesquisa", enfatiza Maria José.