Notícias

Setor de Turismo no Brasil: Emprego X Profissionalização


25
September 2008

foto250_57.jpgpor Leandro Benedini Brusadin[1] e Adriana Mantese Gaspari[2]

A formação acadêmica do turismo no Brasil teve início na década de 70 com a criação de cursos superiores no nível de graduação. A partir dos anos 90 cresceu significativamente a oferta de cursos de turismo devido a diversidade dos postos de trabalho e  aos interesses da próprias instituições de ensino. No entanto, o quadro atual do setor caracteriza-se pela falta de mão-de-obra qualificada para o mercado de trabalho e suas diversas áreas de atuação, tais como, meios de hospedagem, agências de viagens e operadoras, companhias aéreas, cruzeiros marítimos, organização de eventos, parques temáticos, órgãos públicos e consultorias, além de segmentos especializados como turismo rural, ecoturismo, turismo de aventura, turismo cultural e turismo de negócios.

Recentemente o Jornal Folha de São Paulo (31/08/08) noticiou o aquecimento do setor, apresentando dados do Ipea (Institutos de Pesquisa Aplicada), no qual o emprego  formal em turismo cresceu 14,7%  entre 2002 a 2006. Segundo o Ipea, os maiores crescimentos do emprego formal ocorreram nos segmentos de auxiliar de transporte (49,4%), agências de viagem (39%) e alimentação (36,7%).

Um levantamento da FGV (Fundação Getúlio Vargas) com 92 empresas do setor, indicou que a elevação do faturamento fará aumentar contratações ainda este ano. Os destaques são as companhias aéreas e as locadoras de carro. Outro setor que obteve destaque na pesquisa foi o setor de eventos, passando do 19º. lugar em 2003 como país sede de eventos para  ao 8º. lugar em 2006.  "O crescimento do turismo no Brasil, de cerca de 9% em 2007, é o dobro da média mundial para o setor", diz Ricardo Moesch, coordenador-geral de qualificação dos serviços turísticos do Ministério do Turismo.

É imprescindível que haja mão de obra oriunda de cursos superiores que devem proporcionar uma formação de qualidade para suprir essa oferta de empregos atual no Brasil. Torna-se importante que os próprios estudantes de turismo busquem um aprendizado mais crítico, por meio de pesquisas e leituras, assim como, realização de estágios nas áreas de atuação. Fica evidente ainda a necessidade de  pós-graduação para se especializar no mercado pretendido. Somente por meio desse processo dar-se-á a formação profissional de qualidade ao bacharel em turismo e o seu conseqüente lugar  nesse mercado de trabalho em expansão no Brasil.

[1] Atua como docente e pesquisador nos Cursos  de Turismo da Unifran

[2] Diretora do curso de Turismo da Universidade de Franca.