Notícias

Orgulho recíproco: Leandro Donizete Moraes na Escola de Física CERN


28
July 2017

Leandro Donizete Moraes, 26 anos, licenciado nos cursos Matemática (2011) e Física (2014) da UNIFRAN, leciona na Escola Estadual Dr. Tancredo de Almeida Neves, em São Tomás de Aquino, e está entre os 20 professores brasileiros que vão participar de um curso de Física no renomado laboratório CERN (Centro Europeu de Pesquisas Nucleares), que fica em Genebra, na Suíça.

Essa é mais uma daquelas histórias, em que a UNIFRAN se orgulha de seu egresso e ele se orgulha de nós! Vem ver o que ele contou:

 

Qual a importância que as suas formações tiveram na construção de sua carreira?

Os professores brasileiros enfrentam várias dificuldades e para diminuir um pouco os grandes problemas de nossa profissão é preciso aperfeiçoar. Sempre gostei de Matemática e Física. Porém, em minha região só existia o curso de Matemática (na UNIFRAN), então fiz este curso e recebi o diploma de honra ao mérito com média global de 9,47 ao final do curso. Foi excelente para a minha carreira, pois já ingressei no mercado de trabalho em escolas particulares e públicas da região.

Como precisamos nos aperfeiçoar eu não poderia ficar apenas com a graduação em Matemática, então ingressei no curso de Física da Unifran. Esta formação complementar abriu novos caminhos e consegui fazer o Mestrado em ensino de Física na UNIFAL – Alfenas – MG, cuja dissertação possui o título Uma Proposta de Sequência Didática para o Ensino de Astronomia na Educação Básica com o Uso do Software Astro 3D.

Ingressei na rede pública estadual de Minas Gerais em 2013 como professor concursado em Matemática e lá, fui selecionado como professor do programa OBMEP NA ESCOLA onde ministro aulas e estimulo o estudo da matemática para revelação de talentos.

A minha formação inicial foi indispensável para que eu conseguisse chegar até o CERN.

 

Como você foi selecionado para conhecer o CERN?

A Sociedade Brasileira de Física – SBF, juntamente com o LIP (Laboratório de Instrumentação e Física de Partículas) de Portugal e o CERN (Centro Europeu para a Pesquisa Nuclear) em Genebra, na Suíça, promovem a Escola de Física CERN. Existe uma seleção anual através do próprio site da SBF onde são selecionados 20 professores de Física do Brasil. Dos requisitos para ser selecionado se destacam o incentivo à participação dos alunos em olimpíadas, no meu caso meus alunos participam da Olimpíada Brasileira de Astronomia e Astronáutica – OBA, Mostra Brasileira de Foguetes – MOBFOG, OBMEP, entre outras. Além disso, possuo Mestrado em ensino de Física e faço aulas de Astronomia e observações do céu a olho nu e pelo telescópio. Também sou responsável pelo site da escola (www.eetan.com.br) e vários outros projetos. Os selecionadores buscam pessoas que têm a capacidade de divulgar a Física de Partículas em suas escolas e graças a esse conjunto de atributos, felizmente, fui escolhido.

 

Qual o objetivo do Governo em levá-los para esse renomado laboratório?

Nas aulas de Física da educação básica e até mesmo de várias universidades os conteúdos de Física Moderna não são ensinados. Um dos motivos é o pouco conhecimento dos professores de Física com este conteúdo e também a pequena abordagem destes temas nos currículos e livros didáticos. Sendo assim, a Escola de Física CERN é um importante projeto para divulgar a Física Moderna, em especial, a Física de Partículas, em nossas escolas e este é o objetivo principal da participação do Brasil neste projeto.

 

 

E pra finalizar, o que você carrega da UNIFRAN na sua mala de viagem para o CERN?

Sou da cidade mineira de São Tomás de Aquino que fica na divisa entre Minas Gerais e São Paulo. A UNIFRAN desempenha um papel social muito importante em nossa região, pois está localizada a, aproximadamente, 50 quilômetros de minha cidade. Eu não teria condições de estudar em uma universidade mais distante, mesmo pública, pois os gastos para me manter seriam muito maiores do que a mensalidade paga na UNIFRAN. Além disso, a Universidade oferece muitos cursos que não existem em nossa região e, se não fosse esta universidade, muitos não conseguiriam realizar os seus sonhos. Quando me formei em Matemática tinha o sonho de estudar licenciatura em Física, porém não existia esse curso na região. Por sorte e empenho dos professores Elza Rodrigues Pinto Oliveira, Antônio César Geron, Antônio Carlos Marangoni e de vários alunos, como eu, foi reinaugurado o curso de Licenciatura em Física da Unifran em 2014.

Graças à abertura do curso de Física na UNIFRAN tive a oportunidade de sonhar cada vez mais. Consegui fazer o mestrado em ensino de Física na UNIFAL – Alfenas, MG e hoje estou levando na bagagem todo o conhecimento adquirido através do empenho de vários professores da Universidade de Franca em meus seis anos na Instituição. Não posso deixar de agradecer a UNIFRAN, pois eu não teria condições de estudar em outro local.

Vários dos meus sonhos já foram realizados, a Escola de Física CERN é um destes grandes sonhos e hoje tenho o orgulho de dizer que a UNIFRAN faz parte desta conquista. Tenho interesse em ser professor de uma instituição como a Universidade de Franca e fazer doutorado, e graças à minha formação acredito que terei esta oportunidade futuramente.