Notícias

Foto de ex-aluno de jornalismo é destaque no portal UOL


04
March 2008

fotografia250_3.jpg

O evento inserido na matéria abaixo, foi destaque, no último dia 25, no portal UOL. Clique aqui e veja a repercussão.

O ex-aluno de jornalismo Odilon Comodaro terá uma sequência de fotos de redemoinhos de sua autoria exposta durante a Exposição Sertão Contemporâneo, que acontece no Rio de Janeiro.
 
A exposição, que será inaugurada no dia 24 de março, tem o objetivo de explorar o sertão e suas características em diferentes regiões do Brasil, com exposição de fotos, desenhos, pinturas e objetos. "Temos a proposta de relacionar arte contemporânea e brasilidade e questionar se existe identidade nacional na produção artística cultural", explica o curador da mostra Marcelo Campos.
 
Ao todo, quatro artistas participarão com suas obras: José Rufino, Brigida Baltar e Rosângela Remo – esta última responsável pela publicação das fotos de redemoinho da região feitas por Comodaro e mais três fotógrafos: Leo Drummont, João Castilho e Joel Silva. "A imagem agradou tanto aos editores que no dia seguinte foi capa do jornal", conta o ex-aluno.
 

A mostra ficará em cartaz até dia 27 de abril, e acontece na Caixa Cultural – Avenida Almirante Barroso, 25, Rio de Janeiro. Entrada franca.

Conheça a história da foto 

Relato do Odilon sobre o momento da foto

Já fiz o trajeto de cerca de 100 km entre Franca, onde moro, e Ribeirão Preto, pela rodovia Cândido Portinari, de todas as formas e em horários diferentes, uma centena de vezes. Como todo bom repórter, tenho sempre em mente a possibilidade de me deparar com algum tipo de flagrante, algo que não passaria despercebido, mas jamais me imaginei fotografando um redemoinho. Na minha infância, na roça, dizia-se que dentro do redemoinho, sempre com no máximo 3 metros, havia um capetinha que nos arrastaria junto, daí a necessidade de correr pra bem longe dele. Naquele dia de céu azul e muito calor, a caminho do trabalho, a cena inusitada foi impressionante.

No horizonte de terras aradas um redemoinho se formou rapidamente e veio em minha direção. Em segundos, majestosamente ganhou os céus e se contorceu como se estivesse dançando. Parecia feliz. Obviamente, de imediato pensei no tamanho do diabo que poderia haver lá dentro, mas não corri. Fotografei. A imagem agradou tanto aos editores que no dia seguinte foi capa do jornal. Rodovia Cândido Portinari, próximo à cidade de Batatais, São Paulo, 16 de outubro de 2002.