Notícias

Como uma HQ pode ajudar no tratamento do Alzheimer?


02
dezembro 2019

Num mundo em que cerca de 60% a 70% dos casos de demência em idosos ocorrem por conta da doença de Alzheimer, discuti-la é urgente para conscientizar as pessoas e as famílias de quem tem a doença. Mas, seria possível fazer essa reflexão de forma amena através da poética na literatura em quadrinhos?

É o que responde um estudo do Grupo de Pesquisa e Argumentação em Retórica (PARE) do Mestrado e Doutorado em Linguística da UNIFRAN, que virou notícia no Jornal Verdade. O trabalho foi publicado no IV Congresso Internacional de Retórica e Interdisciplina, em Santa Fé, na Argentina.

A pesquisa do PARE analisa como a HQ “Arrugas”, lançada em 2017 no Brasil, consegue promover uma reflexão sobre como tratar a doença de forma incisiva e leve. A obra exibe a vida de um ex-executivo bancário que vive com o Alzheimer e é levado para um asilo por sua família, que não sabe mais lidar com as adversidades provocadas pela enfermidade.

A pesquisa foi apresentada por Mariana Ferreira Santos e Luan Marques Domingos e pelo Prof. Dr. Acir de Matos Gomes. Na matéria, eles dizem que “a análise retórica revelará que todos os signos utilizados para a composição do texto em estudo conseguem apresentar o Alzheimer aos leitores de uma maneira sensível”.

Quer saber mais sobre esta história? Clique aqui e leia notícia na íntegra!

Para conferir mais informações sobre Programa de Mestrado e Doutorado em Linguística da UNIFRAN, acesse este link.