Notícias

Comitê de Ética em Pesquisa da Unifran participa de encontro em Bauru


16
March 2012
CEPENo dia 5 de março de 2012, membros do Comitê de Ética em Pesquisa da Universidade de Franca – CEPE/UNIFRAN participaram do “1o Encontro dos Comitês de Ética em Pesquisa”, realizado na Faculdade de Odontologia de Bauru da Universidade de São Paulo. Segundo o coordenador do CEPE/UNIFRAN, professor Carlos Henrique G. Martins “a participação neste evento foi muito importante, pois tivemos a oportunidade de nos encontrar com os principais interlocutores da Bioética do Brasil, bem como esclarecimentos de dúvidas e troca de experiências entre comitês de outras instituições presentes no evento”.

O evento teve como objetivo aproximar os pesquisadores dos comitês de ética e permitir a capacitação de todos os envolvidos com o tema bioética. Na ocasião, os membros do CEPE/UNIFRAN, professores doutores Teresa Cristina Martins Leite, Maria Rafaela Junqueira Bruno Rodrigues, Maria Georgina Marques Tonello, José Alexandre Bachur, Cléria Maria Lobo Bittar e Branca Maria de Oliveira também reforçaram a importância da participação neste evento. “Este evento nos proporcionou uma visão muito além da ética em pesquisa, reafirmou que bioética, além de uma questão moral, permeia todos os momentos de vida dos cidadãos comprometidos com um mundo mais justo e humano”, conta o professor.  

Durante o evento, os pesquisadores tiveram a oportunidade de participar de conferências como Bioética e pesquisa em seres humanos, com o Prof. Dr. William Saad Hossne, um dos idealizadores da Resolução n. 196/96, e “A ética na pesquisa nos países em desenvolvimento: desafios para o futuro”, com Prof. Dr. Volnei Garrafa, um dos mais importantes profissionais de bioética dos últimos tempos. Além disso, o evento permitiu o encontro com a coordenadora da Comissão Nacional de Ética em Pesquisa – CONEP – Dra. Gysélle Saddi Tannous, o que resultou na aproximação do CEPE/UNIFRAN com a CONEP (Comissão Nacional de Ética em Pesquisa). “Os objetivos do CEPE/UNIFRAN são a atualização, treinamento e capacitação de seus membros, o que a Universidade de Franca não tem medido esforços para alcançar”, finalizou o professor Martins.